07 Fev 2011 - 19 Fev 2011
 
Contacte-nosLinks
Autenticação
Sociedade do Séc. XXI (Soc. da Informação e Soc. do Conhecimento)
SOC. DE INFORMAÇÃO: ESTRATÉGIAS DE RESISTÊNCIAS NOS FAZERES E USOS COTIDIANOS.
A001
Categoria: Sociedade do Séc. XXI (Soc. da Informação e Soc. do Conhecimento)
Ver autores
Autores: Julio Cesar Roitberg

Neste artigo, proponho uma análise crítica dos discursos contextualizados na alardeada “sociedade global do conhecimento” e da apropriação das tecnologias realizada nos/pelos países periféricos, como o Brasil, cujas práticas enfatizam a informática enquanto “divisor digital" e as “inovações tecnológicas”, como prerrogativas para o desenvolvimento. Evitando as polarizações, além dos discursos apologéticos ou apocalípticos, sobre a tecnologia, que não se presta ao maniqueísmo, demonstro como sua implementação reflete-se no cotidiano, posto que a construção do "imaginário tecnológico" afasta a realidade social com todos os seus conflitos. Verifico como a tecnologia na educação, apresentada como motor suficiente para resolver todos os problemas, presta-se mais à vigilância de coisas/pessoas e controle de dados/informações. Como  ferramenta para a administração, controle ou, no máximo, recurso pedagógico, ela foge à sua concepção, enquanto meio para a aquisição da autonomia através da educação. Apresento uma revisão bibliográfica, elencando paradoxos entre tecnocultura, educação e o "determinismo tecnocomercial", a partir dos anos 80/90 do século XX. Através do diálogo entre autores da Sociologia, da Antropologia e da Educação, utilizo-me dos estudos culturais voltados ao cotidiano, para desenvolver os conceitos de isolacionismo e subjetividade; das angústias e plenitude; da tecnologia e coisificação. Analiso determinados elementos, característicos da contemporaneidade, observados nas redes digitais interativas, como I. isolamento e sobrecarga cognitiva, geradora de diversas patologias; II. dominação dos países centrais que monopolizam o trânsito e produção de informações/conhecimento. Também apresento algumas observações sobre as estratégias de resistência, através dos fazeres, usos cotidianos e as ressignificações discursivas da “exclusão digital”, “inserção no mercado de trabalho” e “desenvolvimento social”. Metodologicamente, divide-se este artigo em: 1) Ditadura da informação ou feudalidades  técnico-industriais; 2) “Cosmética desenvolvimentista” e 3) Tecnologia e a completude do ser: desafios para a educação contemporânea. Determinados elementos que atravessam o meu referencial teórico permitem desconfiar dos ônus e bônus gestados na relação entre  tecnocultura e educação, seus ganhos e prejuízos significativos a ampliar a cooperação entre os agentes diretamente interessados em uma educação emancipadora, que não se esquiva a desvelar o conjunto de conceitos e antivalores, enquanto cimento social. Não só podemos, porém, devemos pensar, pedagogicamente, uma outra lógica, dialética, fundada em valores contra-hegemônicos.

 
Ver e-Artigo
 
 
 
62 Visualizações
 
A PRESENÇA DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR NA WEB SOCIAL
A004
Categoria: Sociedade do Séc. XXI (Soc. da Informação e Soc. do Conhecimento)
Ver autores
Autores: Pedro Correia Cravo Pimenta, Paula, Sílvia

Este artigo interpreta e analisa algumas das linhas de força orientadoras do Processo de Bolonha, e como as Instituições de Ensino Superior (IES) estão a utilizar a social web. São identificadas a plataformas utilizadas pelas IES (para além do seu site institucional),  apresentadas algumas métricas de adopção e utilização, e uma reflexão crítica sobre o alinhamento entre as práticas visíveis (mais ou menos publicitadas) e os propósitos do Processo de Bolonha. Conclui-se da convergência em torno das plataformas Facebook, iTunes U, linkedin, twitter e Youtube, da utilização expressiva de Academia.edu, da utilização incipiente de scribd.com, e do alinhamento da social web com alguns propósitos do Processo de Bolonha.

 
Ver e-Artigo
 
 
 
92 Visualizações
 
AS TIC E UM NOVO MANDATO EXCESSIVO SOBRE AS ESCOLAS
A005
Categoria: Sociedade do Séc. XXI (Soc. da Informação e Soc. do Conhecimento)
Ver autores
Autores: Luís Timóteo Ferreira

As escolas e os professores são objecto de uma exigência social para se tornarem produtores de conteúdos multimédia interactivos. Esta exigência faz parte de um contexto mais alargado de uma excessiva solicitação social e política à escola. A utilização de tecnologia na escola revela uma tendência que põe a ênfase na tecnologia e não no sujeito que aprende.

 
Ver e-Artigo
 
 
 
84 Visualizações
 
EDUCAR NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO
A006
Categoria: Sociedade do Séc. XXI (Soc. da Informação e Soc. do Conhecimento)
Ver autores
Autores: Patrícia B. Scherer Bassani, Mely Paula Rabadan Cimadevila, Dinora Tereza Zucchetti

A apropriação das tecnologias da informação e comunicação no processo de ensino-aprendizagem decorre, principalmente,  dos avanços tecnológicos na produção de bens e serviços e é atitude pedagógica adequada a uma sociedade que sofre um acelerado processo de mudanças. Isto significa afirmar que apenas a inserção de recursos tecnológicos no espaço escolar não garante novas práticas pedagógicas. É imprescindível pensar em como a tecnologia é apropriada e explorada na prática docente; saber o quanto seu uso pode efetivamente contribuir para a uma aprendizagem efetiva, consciente e criativa, voltada para a universalidade do conhecimento construído de forma colaborativa, afastada de uma ideia de ensinar e aprender  meramente instrumental. Assim, este artigo apresenta uma breve reflexão sobre o processo de articulação das tecnologias ao contexto escolar, a partir de uma discussão sobre a midiatização e a mediação no processo de ensino-aprendizagem.

 
Ver e-Artigo
 
 
 
125 Visualizações
 
SOC. DO CONHEC. EM UM CONTEXTO DE GLOBALIZAÇÕES: SOFTWARE LIVRE, TRAB. E EDUC.
A007
Categoria: Sociedade do Séc. XXI (Soc. da Informação e Soc. do Conhecimento)
Ver autores
Autores: Silvio Cesar Silva

A palavra globalização tem sido empregada para definir o conjunto das interações econômicas, sociais, políticas e culturais, intensificadas a partir do final do século XX pelas tecnologias da informação e da comunicação. O processo de construção dessas interações possui múltiplas dimensões: econômicas, sociais, políticas, culturais, religiosas e jurídicas. O objetivo deste é artigo é primeiro demonstrar que não existe uma única globalização, mas globalizações. O segundo objetivo é demonstrar que o movimento do software livre representa, simultaneamente, as duas formas contra-hegemônicas da globalização, patrimônio comum da humanidade e cosmopolitismo. Nesse sentido, a ética e a estética hacker, presente no movimento do software livre, apontam para uma nova forma de pensar a educação e o trabalho na Sociedade do Conhecimento.

 
Ver e-Artigo
 
 
 
34 Visualizações
 
EDUCAÇÃO 2.0: O QUE É PRECISO PARA INTEGRAR E COLABORAR?
A008
Categoria: Sociedade do Séc. XXI (Soc. da Informação e Soc. do Conhecimento)
Ver autores
Autores: Iêda Silvana Tavares Diniz, Washington Sales do Monte

A comunicação é fundamental ao desenvolvimento do ser humano. No século XXI, o homem conta com as tecnologias disponíveis para ampliar o poder de comunicação. O estudo chama a atenção para a utilização das tecnologias, especificamente a internet como ferramenta de apoio pedagógico, evidenciando aspectos positivos e negativos quanto a sua utilização pela comunidade escolar. Considerando que a utilização da internet é crucial na atualidade, inclusive, no ambiente escolar, é de suma importância, que as instituições escolares estejam preparadas para utilizá-la de forma eficiente contribuindo assim, com a eficácia do processo de ensino-aprendizagem. É importante que a instituição escolar capacite seus docentes e profissionais, assim como, promova a orientação sobre a forma de utilização da internet entre toda a comunidade escolar, evitando subutilização da ferramenta e da rede, além de minimizar efeitos nocivos aos alunos, como pesquisas inadequadas, aliciamento no ciberespaço entre outros. Faz-se necessário conhecer, para melhor utilizar. O estudo sugere que seja adotada uma política de utilização de uso da internet, onde toda a comunidade escolar participa da elaboração de um manual de “boas práticas no ambiente virtual”, além de disponibilizar o resultado de pesquisa realizada para avaliar o setor educacional potiguar em ambiente virtual.

 

 
Ver e-Artigo
 
 
 
83 Visualizações
 
NATIVOS DIGITAIS EM ACTIVIDADE DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE MATEMÁTICA
A009
Categoria: Sociedade do Séc. XXI (Soc. da Informação e Soc. do Conhecimento)
Ver autores
Autores: Hélia Jacinto, Susana Carreira

Neste artigo discute-se a actividade de resolução de problemas de uma jovem participante no campeonato online de matemática “Sub14”, considerando o tipo de abordagem utilizado na resolução de um problema e a forma como esta é mediada pela utilização de uma ferramenta digital, particularmente no que concerne à esquematização e utilização de signos icónicos capazes de exprimir de forma eficaz o raciocínio da concorrente. Como quadro teórico de análise, adopta-se o conceito de humanos-com-media (Borba & Villarreal, 2005) e a noção de artefacto mediador (Wertsch, 1991), centrais na impossibilidade de separação entre o sujeito, o objecto e a acção.

 
Ver e-Artigo
 
 
 
70 Visualizações